Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O que nunca dizer numa candidatura a emprego

por Cláudia Matos Silva, em 05.01.15

audrey+hepburn+knitting.jpg

Estou à procura de emprego, como diría M. para não interiorizar a condição do desemprego, 'entre empregos', mas confesso, comigo não está a funcionar, por isso digo antes, e não é mentira nenhuma, estou de férias. Dedico-me a coisas que me dão especial prazer, e tento descobrir o que realmente quero, as minhas aspirações e ambições. Por exemplo, faço crochet e envio as peças de presente a amigas e conhecidas, que têm a gentileza de as aceitar. Vai a caminho de Leiria para I. um gorro, amarelo torrado, pela dimensão será um chapéu (ao estilo apanha borbuletas) caseado a cor de laranja.

 

Hoje vi uma oferta de emprego para tricot e sem medos arrisquei, enviando um curriculo muito para as artes da comunicação e nulo em actividades artesanais. Eu, não tenho especial talento para trabalhos manuais e conto aqui o momento dessa revelação. Mas esqueci o passado, às vezes é preciso para construir um futuro e afoita, fiz-me à candidatura, mas logo estraguei a fotografia quando em nota de rodapé assumo 'não sou dotada' e remato (sem laça) 'mas tenho vontade de aprender'. Porque não devo obter resposta, afinal ninguém aprecia candidatos derrotistas, embora me julgue apenas honesta, deixo aqui a oferta para outras, como eu, se queiram atrever. Só não façam como eu, não deitem tudo a perder, puxem pelos galões, sim?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:27



Sem Título22.png

 




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D




page visitor counter