Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Grandes momentos para eu estar calada...ou talvez não.

por Cláudia Matos Silva, em 20.04.15

belu.jpg

Vejo-o ao longe, conheço-lhe os modos a léguas, e por isso não tenho a melhor das impressões. Se falamos andamos ao despique, ele tem a mania que é esperto e eu sei da minha esperteza saloia. No fundo a boa vibração não se gera quando estamos juntos, mas virtualmente somos como grandes amigos e até troca de elogios frequentes.

 

Ontem novo encontro casual, penso 'ali está aquele gajo outra vez' mas da minha boca, alto e bom som, levantando os braços como quem manifesta satisfação, verbalizo 'olhó seboso!' e logo me vergo sobre as minhas próprias visceras. Ele sorri ao longe, mantem-se calmo e assume 'não percebi o que disseste', eu desconverso e ele arma-se em ardiloso 'chamaste-me mal disposto, não foi?' Balbuciei, nem lembro o quê, mas sorri, muito, mascarando o meu real embaraço. Brutando da minha boca todos os meus dentes, pelo menos enquanto os tenho vale a pena sorrir, não vá um dia o gajo perceber-me e sem demorar partir-me a boca toda.

 

Estou a pedi-las, eu sei que sim. Será que me posso defender? Bom, quem diz a verdade, não deveria merecer castigo, pois não!? Um créditozinho, vá.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:09



Sem Título22.png

 




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D




page visitor counter