Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




E se fazer sorrir for tão simplesmente o propósito

por Cláudia Matos Silva, em 15.02.16

Audrey Hepburn 01.jpg

Quer dizer, é assunto que me aborrece até à ponta dos cabelos, revelá-lo aos outros melindra-me, sinto-me até fútil.

Qual o propósito da vida? Poucos se questionam sobre essas duas inevitabilidades; a vida e a morte. Querem é saber do campeonato de futebol e descida do Benfica ou quantos feriados temos este ano, de resto, falar-lhes de questões existenciais, embaraça-me.Das reacções retiro duas; a grande maioria olha-me incrédula, como se eu fosse um mágico que saca um coelho da cartola, ora em vez do coelho eu retiro questões das que não lembram nem ao diabo. Há no entanto um pequeno núcleo que escuta e mesmo em silêncio vai buscando respostas às suas próprias inquietações. É com essas pessoas, as que na espuma dos dias se tentam conhecer e melhorar como seres humanos a quem presto a minha disponibilidade, o meu tempo, o meu sorriso, o meu brilho.

É-me difícil esconder algum desencanto pelas coisas em geral, mas sei, a minha vida não precisa de fogo-de-artifício para se completar como um circulo perfeito. Preciso apenas de um propósito, não quero ser super heroína, ou salvar o mundo inteiro. Basta salvar-me a mim própria, superar dos dissabores inerentes à própria existência, aprender com eles e caminhar desempoeirada por uma estrada que se fará do inesperado. Sei, por mais que me prepare, nunca estarei suficientemente pronta para lidar com os desafios.

É quando falho que surge a desesperança, em mim, sobretudo em mim. E se falhar também faz parte do caminho, sigo cabisbaixa e com vergonha incapaz de me encarar, um vislumbre ao espelho deixa-me as faces rosadas para logo empalidecerem, febris. Instala-se a desesperança, e inesperadamente faço alguém sorrir, uma curva que se abre entre os lábios, desenha-se como um cartoon que ganha vida e nos salta para o colo para nos fazer cócegas, e também eu sorrio. A minha palidez esvai-se por instante, e há novamente o brilho no meu olhar, continuo sem saber o que raio ando para aqui a fazer, mas hoje fiz alguém sorrir. Já valeu a pena.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:40



Sem Título22.png

 




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D




page visitor counter